quarta-feira, 27 de abril de 2011

Falta do que postar!

Impressionante, tantas coisas acontecem, tantas coisas nos dão raiva, nos deixam felizes...e eu aqui, sem uma idéia sequer do que postar.
Pensei em fazer mais uma poesia...Mas depois pensei melhor, se não tô com inspiração para um post safado como vou  ter inspiração suficiente para uma poesia...
Aí pensei por que reclamar? Por que não reclamar? E decidi, vou reclamar! Só faltou um ponto...DO QUE?
Agora, ao digitar esse texto tosco me veio a Luz.
Vou reclamar disso.
Posts sem sentido, sem razão de ser, posts feitos ao ermo.
Postar por Postar.
Não sabe o que dizer NÃO DIZ!
Se não tem nada para acrescentar ESTUDA, quando tiver tu acrescenta!
Tem gente que faz videos ou até podcasts sem ter o que dizer, para que fez?
Para que fazer algo nas coxas se no fim o objetivo seria o entretenimento do pessoal. Quem você entreteve com um texto ruim? Você mesmo enquanto o escrevia? Acho que nem isso. Por que é um saco escrever quando não se tem assunto.
Vamos parar de postar sem razão.
Postar por que é bonito ter um post por dia.
Vamos parar de postar novas notícias velhas, como diz um amigo formado em Jornalismo.
Vemos muito esse tipo de coisas em diversos sites espalhados pelo Globo.
Se você fizer um Blog, advinha, não me importo com a notícia em si, o que me importa é com SUA leitura daquela notícia, com sua impressão, quero sua opinião, ao ler um blog não procuro um jornal, procuro uma crônica. Esse serve de dica para quem for fazer um Blog.
Acabou que esse texto sem nenhuma criatividade tornou-se algo metalingüístico.
Não vou ensinar ngm a fazer seu trabalho, mas lembre-se, estando na internet, todo mundo tem acesso.


Eu sou Elrond Bruno dizendo: "O barulho é relativo ao silêncio que o precede, quanto mais absoluta a quietude, mas devastadoras as palmas. "

terça-feira, 26 de abril de 2011

Conselho Zen!!

O que não tem remédio, remediado está!
Se a maré está levando você para um lado, não vá de encontro a ela ou voce se afogará, anule sua força nadando em diagonal....assim você usa até mesmo a força dela a seu favor.
Ainda não pegou a idéia?
Não fique nervoso, o nervosismo turva sua mente e o faz perder o foco, bem como sua mente perde a capacidade de raciocínio lógico.  Acalme-se, espere e confie no que você é capaz de fazer.
Acredite em si mesmo.
Sua força é maior do que você acredita e imagina.

Aqui é elrond bruno dizendo: ""- Você acha que um homem pode mudar seu destino? - Eu acho que um homem faz o que pode... até que seu destino lhe seja revelado"

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Poesia Reflexiva de autoria própria.

T E M P O

Tempo, incansável,
inexorável, irremediável,
Tempo.

Seguimos nossa vida
Toda ela regida
Regida sem pudor
Por esse senhor

Esse senhor Tempo
Tempo que nos é tirado
Tempo que eu temo
Tempo que nos deixa irado

Como tive tão pouco?
Por que ele durou tanto?
Esse relógio me deixa louco!
Esse tempo é tão insano.


Tempo em horas
Tempo em eras
Tempo agora
Tempo esperas

Por que tão rápido?
Por que demora?
Por que foi ontem?
Por que agora?

Não sei a resposta
Só deixo uma dica
Faça logo o que gosta
Nessa vida corrida

O tempo não cansa
O tempo não para
O tempo não pensa
O tempo não espera

O tempo passa
O tempo compassa
Quero meu tempo
Cada um quer o seu

O tempo não é meu
O tempo não é seu
O tempo muda tudo
O tempo não muda nada


Bruno Loreto Guedes

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Divagando sobre o tempo!

No post anterior eu falei de Oswaldo Montenegro, ele tem uma música que diz mais ou menos assim: "Faça uma lista de grandes amigos, quem você mais via há dez anos atrás. Quantos você ainda vê todo dia? Quantos você já não encontra mais ?" - O nome da música é A Lista.
Ouvindo essa letra começamos a divagar, fazer uma retrospectiva, lembrar dos que passaram em nossas vidas, dos sonhos que um dia tivemos, de como modificaram, de como se mantiveram.
Engraçado como amizades que não imaginamos simplesmente ocorrem e perduram. Quem diria que aquele garoto de 10 que ia fazer 11 anos que entrava no Colégio Vera Cruz conheceria alguns dos amigos que o acompanhariam dali em diante em sua vida. Amigos que já passaram por momentos individuais complicados, mas que sempre estiveram próximos para ajudar uns aos outros.
Quem diria que aquele garoto que na quinta série dizia: "Eu vou fazer direito.", hoje estaria formado e enfrentando uma especialização.
O tempo é uma força inexorável, é fugás, é impiedoso. Mas o que poucos sabem é que ele possui uma fraquesa, um ponto que o deixa vulnerável. Sim meus caros leitores, o tempo PODE ser vencido. Não, não estou dizendo que podemos viver para sempre, ao menos não em carne e osso. Mas o tempo é derrotado quando o congelamos em nossas mentes, e ficamos com um dia sempre dentro dela. aquele momento, quando todos estavam juntos, quando os risos eram soltos e a felicidade imensa e intensa. Naquele momento, naquela hora que você nunca esquece, ali o tempo foi derrotado. Ele pode tentar, podem avançar o quanto quiser, mas aquele momento perdurará eternamente dentro de quem o viveu.
Quanto a vivermos para sempre, é simples...vivemos eternamente na memória daqueles que tocamos, não fisicamente, mas interiormente. O avô que toca um neto, que convive com o mesmo, que brica com o mesmo. Ele não morre quando seu corpo se torna imóvel, não, ele perdura pois esse neto crescerá e lembrará do avô e contará para seu filho histórias incríveis sobre esse avô, e um dia será avô, fará o mesmo com seu neto, contará do seu avô e seu neto saberá que um dia aquele avô existiu e que ele foi o melhor avô de todos, e o amará, e ele viverá nesse amor.

A razão desse post? Simples, as vezes precisamos parar e cotemplar a vida. Não reclamar, não pedir, cotemplar, apenas observar. Ver a vida como ela é. Vê-la crescer. Vê-la supreender. Ser gratos por estarmos nela. Não deixa que o tempo o vença. Pare, contemple, lembre. Lembre daquela viagem, daquela paisagem, daquela pessoa que lhe deu informação. Lembra daquele jantar? E daquele café? Lembra aquela vez que todo mundo estava bebado? Lembra como é bom as vezes se deixar ser criança?
Eu lembro, eu olho onde estou, onde cheguei. O caminho que trilhei para chegar aqui.
Obrigado aos amigos que me acompanharam, agradeço as presenças. Recordo dos bons momentos, mas ainda temos um longo caminho a seguir.

Aqui é Elrond Bruno variando e citando ao invés de filme uma música: "Vem vamos embroa, que esperar não é saber. Quem sabe faz a hora, não espera acontecer."

terça-feira, 12 de abril de 2011

Como fosse um par que nessa valsa triste!

Dia 15 de abril de 2011, uma sexta-feira, haverá aqui em Recife um show, um show de um artista que quem conhece já advinha pelo título do post.
Aos que desconhecem trata-se de um artista de tempos mais antigos, que é um tanto quanto deprê. Não deprê EMO, mas um deprê com estilo. O nome da música da qual retirei o título do post é Bandolins, o que nos leva ao artista, Oswaldo Montenegro.
Com músicas que retratam uma certa melâncolia em seus tons e rítimos. Com músicas perfeitas para essa semana de Recife, músicas para dias de chuva. Músicas para serem ouvidas longe de objetos cortantes e armas de fogo. Principalmente músicas para que você não ouça em momentos de depressão.

É um estilo de música que apesar de todas as ressalvas por mim feitas, muito me agrada. É um artista que avançou os anos mantendo de uma maneira geral o seu estilo. Mantendo suas convicções sobre a música de uma maneira firme. Onde seus maiores sucessos são os mais antigos.
Isso demonstra que a música não tem tempo ou idade, muito menos data de validade. Assim como seus interpretes. Músicas como a já citada Bandolins, Lua e Flor, mostram formas de mostrar falsos moralismos, em bandolins, a forma de amor complexa em sua concepção , em Lua e Flor.

Dentre inúmeras outras músicas que para quem vai além das linhas e enxerga por trás, encontra grandes idéias e ideais.
Para quem está com seu Real(R$) livre e está sem ter o que fazer na sexta e quer sair da rotina dos mesmos bares de Recife, recomendo ir ao show, que ocorrerá na sexta-feira dia 15 de abril, no teatro Guararapes.
Referenciando o post anterior, há chances do Ar-Condicionado DESSE teatro está funcionando.


Aqui é Elrond Bruno Dizendo: "Eu já vi tudo, eu vi a escuridão, eu vi a luminosidade de uma pequena faísca.

Eu vi o que escolhi ver, vi o que precisava, e isso basta. Querer mais seria avidez."

sexta-feira, 8 de abril de 2011

É rir para não chorar!!!

Bom, é bom começar dizendo que um dos melhores teatros daqui era o teatro da UFPE.
Um teatro de bom porte, amplo, com um número razoável de assentos, todos acochoados, a proximidade com o palco muito boa, e até um tempo atrás um bom ar condicionado.

Notem que falei até algum tempo atrás. Fui recentemente dia 03 de abril de 2011, assistir um espetáculo chamado de Terça Insana. um espetáculo de humor, muito bom, muito divertido e muito interessante.
estranhamente o calor estava beirando o insuportável. Pensei que deveria ser eu, exagerado. Sei lá, mas não, ao término do espetáculo uma da atrizes veio ao palco e se desculpou pelo calor, informou que não sabia que o ar-condicionado do teatro estava quebrado ( NEM NÓS), e agradeceu a paciência.

O espetáculo foi bom, mas poderia ser muito melhor, não fosse o calor que nos deixa inquietos e tira nossa atenção.

Fica a pergunta, por que não se utiliza o dinheiro que se ganha com as peças, formaturas e afins que alugam o teatro, ao menos parte do dinheiro, para MANUTENÇÃO do teatro?
Se usam, como é que deixam o ar condicionado quebrar assim?
É um absurdo que um dos melhores teatros da cidade, que já não tem essas coisas todas de teatros, esteja assim. Se já somos pouco visitados por peças e taxadas por matutos e burros, quem dirá após o artista chegar aqui e encontrar isso.


Aqui é Elrond Bruno dizendo: "Até uma boa decisão, se for tomada por motivos errados, pode ser uma má decisão"