quarta-feira, 26 de outubro de 2011

ENSINAR X EDUCAR

Como o prometido, esse post é sobre minha visão, sobre tudo que aprendi, sobre a diferença entre EDUCAR e ENSINAR! Qual o papel dos pais? Qual o papel da escola?

Como eu já informei anteriormente, os pais do mundo moderno tem cada vez mais confundido conceitos. A idéia atual é, façamos o menino e jogamos no colégio e ele se responsabilizará por tudo. O Blog não tem limitação, quem quiser pode comentar e tentar me desmentir, mas lembre-se, uma coisa é o que você ACHA que está fazendo, outra coisa é o que seus atos falam de você.

Poucos pais hoje em dia se preocupam em educar o filho, em usar a palavra NÃO. Para quem não sabe a palavra NÃO é muito mais recheada de amor do que o SIM. O sim é a permissividade, é o qualquer coisa pode, o problema é que não pode, se você não ensina isso para seu filho o mundo vai ensiná-lo da pior maneira possível. Ele sofrerá, ele será execrado, ele será o chato, ele será excluído.

Os pais tem deixado para que a escola dê a seus filhos educação doméstica...as crianças vão aos colégios e respondeme aos professores, quebram coisas em sala, bagunção com tudo e o que os pais fazem? Aplaudem e riem. ERRADO! Isso não é aceitável em qualquer nível! Isso é Criminoso! Isso é fazer MAL aos seus filhos!

As crianças estão perdendo o respeito pelos mais velhos, não se respeita mais as gestantes, cadeirantes, idosos. Os pais ensinam aos filhos a sempre passar a frente de quem quer que seja, a ser um trator, derrubando tudo e todos sem dó!

Os pais não ensinam mais o respeito, ensinam o medo...fazem o filho ter medo para obedecer...isso é certo? Os pais não conversam mais com os filhos, chegam em casa e vão tomar banho, as vezes comer, ver tv e o filho que fique lá...Se por acaso tiver dúvidas, o pai joga pra mãe que joga pro pai, que no fim o garoto desiste e vai ao google.

As crianças estão aprendendo a ser sozinhas, estão crescendo sem orientação, tendo por orientação jogos virtuais e programas televisivos, bem como tudo o que se joga na internet.

Eu tenho crises de riso quando leio que alguns pais acham jogos violentos e querem tentar proibir o comércio deles no Brasil, que o JOGO é culpado, que a INTERNET é culpada, se o menino começar a ler a Bíblia até ela será culpada, a única coisa que nunca é culpada são os pais. Engraçado que são os ÚNICOS culpados...

Sempre joguei RPG, jogos de Tiro, vi filmes de ação, terror...e nunca tive vontade de pegar uma metralhadora e chegar no centro da cidade e matar todos...Por quê?
Porque eu sou um super ser humano imune....Porque eu sou um ser mega desenvolvido melhor que vocês amebas que se dizem pais...NÃO, esses porquês que falei antes são falácias, a razão é que tive acompanhamento, família, educação familiar. Aprendi a respeitar as pessoas que tem menos dinheiro ou que sejam mais humildes da mesma maneira que eu respeito um podre de rico. Aprendi que devemos respeitar os mais velhos, que cadeirantes tem preferências, que gestantes tem preferências.

Não aprendi isso no colégio. Foi em casa. O colégio não me educou, ele pode até ter auxiliado em pontos sutis, mas no colégio eles me ensinaram, matemática, ciências, história, geografia, desenho geométrico, português, Inglês...O colégio tem função de ensinar as matérias que precisamos saber, de nos ensinar como o mundo funciona, mas como nos portamos quem tem que nos educar são nossos pais. O colégio é feito para reforçar aquilo que já se diz em casa, entretanto hoje eles tem sido postos na condição de além de prover ensino deve prover a educação...que nunca será a mesma que os pais ofereceriam.

Temo pelo futuro, crianças sem noção de família, humanos frios e desequilibrados, não parece uma boa receita para um futuro próspero! 

Ainda há tempo, EDUQUE seu filho, ensine-o, seja rígido, não é amor, sim é fácil...o caminho fácil não via levá-los aonde vocês gostariam de estar.
Se acha que estou errado reflita um pouco, inicie uma análise mais detida e depois comente, estou tão louco assim? Será que essa visão está distante da realidade? Se não for seu filho olhe os amiguinhos dele, olhe os pais e me diga, quão próximo dos filhos os pais são hoje?


Aqui é Elrond Bruno implorando para que tenhamos consciência dos nossos atos enquanto ainda podemos fazer algo para mudá-los e salvar o futuro! 

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Reflexão válida para o futuro!

Hoje pela manhã recebi um e-mail vindo de uma amiga, ele trazia uma mensagem supostamente de Heberte Vianna e ao final uma frase que teria vencido em um congresso sobre vida sustentável, a frase seria:  “Todo mundo 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos.... Quando é que 'pensarão' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?”

Se perceberem, é bem a tecla que venho batendo a algum tempo. A geração que chegou a pós a geração saúde foi a geração Junk Food. A geração "what ever". Essa geração para quem o mundo real é o mundo dos bites e o mundo de carne e osso é só um lugar monotono onde tenho que ficar até chegar em casa e partir para meu verdadeiro mundo.

Diziam que os programas que minha geração assistia eram violentos, que minha geração era cheia de filmes violentos, desenhos violentos, e tentaram modificar isso, resultado...fizeram desenhos educativos, modificaram os padrões criaram sensuras, e o resultado, geração de psicóticos...Não lembro de na minha época haver tantos jovens metralhando colegas em sala, matando os amigos.

Os pais traumatizados com sabe Deus o que, ou melhor, os pais EGOÍSTAS DEMAIS para ver além dos seus desejos e vontades, largam os filhos para que a TV e os outros meios os eduque. Depois os pais começam a ver os frutos desse desleixo e passam a achar ruim a postura dos filhos. Quando vão tentar correr atrás do tempo perdido, muitas vezes já é demasiado tarde e os filhos ou já estão no mundo das drogas ou envolvidos em crimes.

As crianças crescem aprendendo a ser consumistas, os pais passam a achar que gastar dinheiro com o filho é sinônimo de se importar. Se eu pago uma psicóloga isso supre o tempo que eu devia brincar com ele. Se eu pago um DVD isso supre o tempo que deveríamos sentar e colorir, ler, cantar...enfim...dinheiro não cria laços. Dinheiro cria o que estamos vendo, morte pela herança, assassinatos, desvalorização da vida.

Pensemos, se não há vida para valorizar o que o indíviduo valorizará? Sim porque ficar agarrado a um video game ou DVD ou Blue Ray ou TV...isso não é vida. Ele não sente o calor do amor dos pais, ele não sabe o que é sentir a vida, ele não sabe o que é carinho ou qualquer coisa assim...então...volto a perguntar...Se não sabe-se o que é vida, como podemos exigir que se dê valor a mesma?

"Não podemos! Não há o que fazer...Devemos desistir, o futuro está selado! O fim será filhos matando os pais."

BESTEIRA! Isso é um pensamento derrotista inaceitável. Como mudar? Explico: Ame seu filho, curta seu tempo com ele, passe tempo com seu filho, brinque, corra, pega-pegô, Pega-Congelou, Estátua, Batatinha Frita 1 2 3, Esconde-Esconde, passa anel, a barca virou, minha barquinha vai carregada de....
Brinque, não importa que seu trabalho é cansativo, VOCÊ inventou de por esse ser no mundo. Para esse ser VOCÊ é o mundo dele. Você é tudo que ele quer ser, então seja o herói que ele acredita que você seja. Ame-o, arrume forças do infinito, mas seja um pai, seja uma mãe. Só há uma forma de mudarmos o futuro, educando nossos filhos, educando no amor...para as escolas fique o papel de ensinar...para os pais seu dever é educar.

Meu próximo Post será entre a diferença entre ENSINAR e EDUCAR, muitos pais tem se perdido nisso e passado o dever de EDUCAR para as escolas, quando a mesma só deveria ENSINAR.

Aqui é Elrond Bruno dizendo: Agradeço a minha mãe que sentava no chão ao meu lado quando eu era crinaça. A minha mãe que brincava de massa de modelar comigo, de pintar de construir de desenhar...agradeço por minha mãe ter sido mãe!

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Poesia Matuta!

O "Homi" e "Mulé"


"Homi" é bicho engraçado
"Homi" é bicho safado
"Homi" pensa que é sabido
Mas junto de "mulé", tá é perdido

"Homi" gosta de farrear
Outras cabrochas afeiçoar
"Homi" acha que esconde
Mas "mulé" vê de loonge!

"Homi" se vê um rabo de saia,
Fica que é fogo só
E a "mulé" que num si atrapaia
Dá-lhe logo uma no gogó!

 - 'Tá olhando o que cabra safado?'
 - 'Né nada não minha flô,
Tava olhando aquele bordado!'
 Fala isso desaprumado e muda de cor!

"Mulé" é bicho faceiro
"Mulé" é bicho traiçoeiro
"Mulé" é bicho astuto
Mais ainda "mulé" de matuto!

"Mulé" é bom demais,
Tem umas que nem Satanás!
"Mulé" é bicho que encanta
Nem toda "mulé" é santa.

"Homi" quando apronta chega cheio de manha
Trás presente, flor e doce
Chega logo e faz campanha
Como se namorado fosse.

A "mulé" descofiada de tanta "agradação"
Com carinho e com dengo
Arranca tudo do cristão
E "homi" tão sabido, acaba se f....




Autor: Bruno Loreto Guedes

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Escola ou Comércio?!

Fato: Passei hoje na frente de uma das escolas mais notórias de Recife e percebo que a escola está fechada...lembro-me em seguida que hoje é um feriado, dia do comerciário...
Chego ao trabalho ainda estarrecido de como as escolas decidiram finalmente assumir que eles não passam de uma forma de comércio, nada além de mais uma venda...Chega de educar, vamos lotear conhecimento.
Mas ao chegar eu descubro que na verdade como o dia dos professores foi em um Sábado e eles como não comemoraram passaram a comemoração para segunda-feira. Suspeito?
Não entendo...Quando o dia do trabalho cai num Domingo por acaso o trabalhador ganha o feriado na segunda? Eu não vejo isso.
Conscidência caiu a comemoração JUSTAMENTE junto com o feriado dos comerciários...que infeliz coincidência...Porque para mim inspirou esse post, um post comentando o rumo da educação.
Hoje temos escolas que ensinam nossos filhos a marcar um "X" numa prova de vestibular. Mesmo quando colocamos nossos filhos em colégios que possuem um fundo religioso não temos nada além de mais um comércio. As escolas viraram centros mercantis, onde a instituição ganha com fardamento, mensalidade, eventos e afins. Os pais sacrificam-se para pagar mensalidades exorbitantes, acreditando que seu filho está sendo instruído, está aprendendo a pensar, aprendendo história, quando na verdade não vemos essa atitude. Se tenho filhos? Não, mas tenho uma irmã. Minha madrasta ao tentar ler o livro da minha irmã ficou confusa. Ela mesma não entendia direito. O livro não falava da escravatura, não falava da república, não falava da ditadura, nada...falava em Capitalismo, Socialismo...Como entender o Macro sem termos a menor noção do Micro?
Como podemos simplesmente fazer que as crianças compreendam a complexidade do mundo moderno se não mostrarmos os erros do passado?
Religião...foi-se o tempo em que essa disciplina representava algo útil, hoje em dia utilizam-se da cadeira para enrolar...com atividades sem graça ou conexão com a religião...Não sequer um estudo teológico.
Não criamos cidadãos nas escolas, criamos maquinas de marcar "X". No ensino médio, científico, ou seja lá como chamam hoje, não aprendemos qualquer ofício, não nos ensinam nada que possamos utilizar caso não tenhamos interesse em uma universidade.
O caminho lógico não é todos nas universidades, nem todos tem a mesma aptidão e todas as profissões são dignas. Se a pessoa quer ser mecânico, não necessita de uma formação acadêmica, temos que ter a coinsciência que o jovem tem que ter a opção de não entrar na faculdade. Quando terminamos o ensino médio não sabemos nada...não temos nada, a unica opção é no graduarmos num curso superior para talvez termos uma chance.
Está errado! Não aprendemos a raciocinar, aprendemos a ver cascas de banana. O Vestibular não procura pessoas que saibam a matéria, não procura vocação, procura uma pessoa que saiba fazer a prova de vestibular, PONTO. Chega na faculdade o jovem não sabe o que fazer, ele não foi ensinado a pensar, o sistema criou um marcador de "X".
Talvez as escolas devessem ser limitadas...os valores das mensalidades controlados...os salários dos professores DIGNOS, talvez com um lucro menor os comerciantes deixassem as escolas para os educadores.
Talvez ao retornar às mãos dos educadores as escolas tornem-se novamente um centro de saber.
Quem sabe ao invés de aprender a contar valores nossos filhos passem a aprender a entender sua própria história, e não cometer erros seguidos que vemos se repetirem por pura ignorância do passado.

Aqui é Elrond Bruno clamando mesmo que solitariamente por uma reforma nesse ensino, quero escolas, ginásios e não mais lojas de saber chulo e limitado pela ganância de comerciantes do ensino.  

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Discordo do Exame da OAB nos Moldes em que hoje se encontram.

    Eu já tentei compreender de toda maneira esse exame da OAB - Ordem dos Advogados do Brasil. Esse exame de admissão que hoje assemelha-se muito a um concurso público, sem limites de vaga mas que permanece reprovando tanto quanto qualquer concurso.

    
    A pergunta inicial do leitor deve ser, O QUE VOCÊ NÃO ENTENDE?

    A resposta é complexa...Eu não o entendo por inteiro...A idéia é ver se a pessoa tem condições de ser advogado, msa não fazem questões para verificar isso...pelo contrarário, fazem pegadinhas para derrubar o candidato? NÃO HÁ VAGAS...POR QUE DIABOS DERRUBAR CANDIDATOS? A idéia do exame é saber se o bacharel absorveu o conhecimento mínimo necessário para que o mesmo seja advogado, e por que esse massacre? Não vemos isso no CRM, CRO, CREA....Será que é porque esse modo como vem sendo feito gera uma boa renda para OAB?

     Falando em renda...o valor do exame é R$200,00 para dois dias de prova e em geral o prédio onde o exame é realizado é cedido. Façamos um paradigma o concurso para Juiz de Direito de Pernambuco, em Pernambuco o valor da inscrição foi por volta de R$175,00; o concurso para Juiz compreende fase objetiva, fase discursiva, dois dias fazendo sentença, civil e penal e fase oral...fora a prova de títulos...ou seja são 5 dias de prova por R$175,00...Se você for aprovado você ganha um Subsídio bem rezoável. Mais de R$10.000,00. Agora vejamos a OAB, R$200,00 para fase objetiva e discursiva mais peça...ou seja 2 dias. POR R$200,00. Se aprovado você paga a anuidade...e se vira para trabalhar e tentar ganhar teu dinheiro...Para fazer o juramento tem de pagar a anuidade....ou seja...eu pago caro para uma prova que no fim eu vou ter que pagar mais????

     Realmente não concordo com os moldes que o exame da Ordem vem sendo feito, o rumo que ele passou a tomar. Não acho que esse exame é algo aceitável.

     Esse exame não é algo que nos faça ter bons advogados, na verdade esse exame só nos faz ter raiva. O bacharel é submetido a algo que não condiz em nada com a realidade vivida. É um exame fraco, sem conexão com o mundo real.





Aqui é Elrond Bruno perguntando quando é que se terá respeito para com os futuros advogados...A OAB não se importa com os futuros advogados, não se importa com os antigos, a Ordem negligência seus credenciados e só olha para os seus bolsos.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Poesia Reflexiva

O Refletir de uma Vida!


O sussurrar de uma vida
Um suspirar de esperança
Toda a mágoa sofrida
Agora a alma descança

Um piscar de olhos
Simplesmente relance
Transpassar os domínios de Hórus
O outro mundo ao meu alcance

Chegou ao fim minha caminhada
Foi bom estar aqui
Começo agora uma nova estada
Hora de ver o quanto cresci

Não pares de caminhar,
Tão pouco se consuma em pesar.
Minha vida aqui foi boa
Minhalma agora ecoa.

Sinto o universo de maniera intensa
Ele é muito mais belo do que se pensa
Sinto a efêmera vida terrena
Não sintas pena

A vida aqui é bela
Sem dor ou sofrimento
A minha amada terra
Rogo pelo seu crescimento

Falta a crensça em algo maior
Falta a vontade de ser bom
Desta terra sinto dó
Mas de preces surge o som!

Som de esperança, opção
Som da verdadeira salvação
Salvação através do amor eterno
Surge o sentimento fraterno

Chega de guerras, miséria, dinheiro
Trabalhe por amor ao que faz
Moremos todos bem por direito
Comida para todos e paz

Nada é meu, nada é teu
Apenas passamos por essa vida
Só levas aquilo que viveu
Largas mão dessa poeira querida

Teu espírito não leva terra
Tua alma não leva salário
Teu Deus não quer tua grife
Teu pai não quer teu terreno

O que te é importante?
Grandeza excessiva te faz insolente
Humildade é teu escudo
Caridade e Aprendizado tuas armas

Ainda lembro do sussurrar que foi minha vida
Oitenta e nove anos para aprender
Uma gota de tempo para o que é relamente a vida
Hoje onde estou nunca paro de me surpreender.



Autor: Bruno Loreto Guedes

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Dilema eterno dos relacionamentos X amizades!

Esse post é puramente de pensamentos soltos e desconexos sobre um tema que desejo falar, porém não sei ao certo como aborda-lo. Em assim sendo, decidi abordar ambos os lados, pois já estive em ambos os lados.
Começarei pelo básico, os amigos. O lado inicial do primeiro atingido, o amigo. Quem nunca teve um amigo que desapareceu enquanto namorava? Não falo ocasionalmente, falo do convivio. De repente ele não aparecia para nada mais. Convidá-lo era o equivalente a falar com uma porta.
A ponto de fulerar aniversário de amigos de infância, só por conta da namorada. Uma namorada que chegava a atender o telefone dele, fingir a voz e desligar em seguida.
Amizades que deixam de parecer importantes porque o namorado ou a namorada arranja pretexto para tudo. Não digo que não tenham tempo a sós, mas alguns esquecem seus próprios amigos e passam a viver unicamente os amigos de um lado do casal. Engraçado como nunca é o nosso.
Como evitar isso? O pior que é simples. Não falo a toa, eu sou um desses amigos que sumiu por cerca de 2 anos, no primeiro ano eu ainda aparecia, mas por dois anos eu sumi da vida dos meus amigos, por namorar uma pessoa controladora e não ter imposto minha vontade.
O que aconteceu? Aquilo que é fadado a acontecer nesse tipo de relacionamento, acabou. Não havia companheirismo, havia uma unilateralidade, onde meus amigos = lixo só as amizades dela prestavam.
Como resolvi isso nos namoros seguintes, conversando, informando que não deixaria de ver meus amigos por causa de mulher nenhuma. Ainda assim uma namorada tentou me afastar dos meus amigos, findou terminando também.
No meu relacionamento atual antes mesmo de começar, sentamos e conversamos muito e decidimos que ambos teriam espaço para as amizades individuais. Que quando quisessemos veriamos nossos amigos sozinhos, sairiamos com os amigos. Dessa forma preservamos nossa individualidade, partilhamos bons momentos e acabamos saindo um com os amigos do outro, formando no fim um enorme grupo, onde as vezes saimos com um, outras vezes com outro, outras vezes com os dois juntos, as vezes o casal sai, outras vezes ela sai, outras vezes eu saio.
O mais importante, hoje tenho um relacionamento onde tenho meus amigos, minha namorada e fiz novos amigos.
O ponto que acho mais importante em falar é que as vezes acontece é que os amigos hotilizam  o namorado ou a namorada, então, a partir daí ocorre o fenômeno que é o pivô se magoar.
Não podemos na qualidade de amigos cobrar excessiva presença da pessoa. As vezes até por medo do passado ou sei lá que razão torpe seja. O papel do amigo é ver se há felicidade no amigo e ajudar para que ela se mantenha e não tirar a felicidade da pessoa.
Se por acaso ela após os 3 primeiros meses se afastar demais, aí sim devemos dar a primeira chamada.
Se persistir informar, "Você está fazendo novamente".
E só ao fim de um ano é que podemos infernizar de verdade!
Lembremos que cada pessoa guarda diferenças, lembremos também que o passado nos ensina e que tendemos a não querer nos magoar da mesma maneira novamente.
Não ponham o carro na frente dos bois.

Aqui é Elrond Bruno dizendo: Eu avisei que era um jorro de pensamentos desconexos!!!!