segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Escola ou Comércio?!

Fato: Passei hoje na frente de uma das escolas mais notórias de Recife e percebo que a escola está fechada...lembro-me em seguida que hoje é um feriado, dia do comerciário...
Chego ao trabalho ainda estarrecido de como as escolas decidiram finalmente assumir que eles não passam de uma forma de comércio, nada além de mais uma venda...Chega de educar, vamos lotear conhecimento.
Mas ao chegar eu descubro que na verdade como o dia dos professores foi em um Sábado e eles como não comemoraram passaram a comemoração para segunda-feira. Suspeito?
Não entendo...Quando o dia do trabalho cai num Domingo por acaso o trabalhador ganha o feriado na segunda? Eu não vejo isso.
Conscidência caiu a comemoração JUSTAMENTE junto com o feriado dos comerciários...que infeliz coincidência...Porque para mim inspirou esse post, um post comentando o rumo da educação.
Hoje temos escolas que ensinam nossos filhos a marcar um "X" numa prova de vestibular. Mesmo quando colocamos nossos filhos em colégios que possuem um fundo religioso não temos nada além de mais um comércio. As escolas viraram centros mercantis, onde a instituição ganha com fardamento, mensalidade, eventos e afins. Os pais sacrificam-se para pagar mensalidades exorbitantes, acreditando que seu filho está sendo instruído, está aprendendo a pensar, aprendendo história, quando na verdade não vemos essa atitude. Se tenho filhos? Não, mas tenho uma irmã. Minha madrasta ao tentar ler o livro da minha irmã ficou confusa. Ela mesma não entendia direito. O livro não falava da escravatura, não falava da república, não falava da ditadura, nada...falava em Capitalismo, Socialismo...Como entender o Macro sem termos a menor noção do Micro?
Como podemos simplesmente fazer que as crianças compreendam a complexidade do mundo moderno se não mostrarmos os erros do passado?
Religião...foi-se o tempo em que essa disciplina representava algo útil, hoje em dia utilizam-se da cadeira para enrolar...com atividades sem graça ou conexão com a religião...Não sequer um estudo teológico.
Não criamos cidadãos nas escolas, criamos maquinas de marcar "X". No ensino médio, científico, ou seja lá como chamam hoje, não aprendemos qualquer ofício, não nos ensinam nada que possamos utilizar caso não tenhamos interesse em uma universidade.
O caminho lógico não é todos nas universidades, nem todos tem a mesma aptidão e todas as profissões são dignas. Se a pessoa quer ser mecânico, não necessita de uma formação acadêmica, temos que ter a coinsciência que o jovem tem que ter a opção de não entrar na faculdade. Quando terminamos o ensino médio não sabemos nada...não temos nada, a unica opção é no graduarmos num curso superior para talvez termos uma chance.
Está errado! Não aprendemos a raciocinar, aprendemos a ver cascas de banana. O Vestibular não procura pessoas que saibam a matéria, não procura vocação, procura uma pessoa que saiba fazer a prova de vestibular, PONTO. Chega na faculdade o jovem não sabe o que fazer, ele não foi ensinado a pensar, o sistema criou um marcador de "X".
Talvez as escolas devessem ser limitadas...os valores das mensalidades controlados...os salários dos professores DIGNOS, talvez com um lucro menor os comerciantes deixassem as escolas para os educadores.
Talvez ao retornar às mãos dos educadores as escolas tornem-se novamente um centro de saber.
Quem sabe ao invés de aprender a contar valores nossos filhos passem a aprender a entender sua própria história, e não cometer erros seguidos que vemos se repetirem por pura ignorância do passado.

Aqui é Elrond Bruno clamando mesmo que solitariamente por uma reforma nesse ensino, quero escolas, ginásios e não mais lojas de saber chulo e limitado pela ganância de comerciantes do ensino.  

Um comentário:

Lyuma disse...

Eu tambem acho um absurdo. Minha irma falou 'no dia do estudante temos que estudar, porque no dia do professor ele nao tem que ensinar?' Isso so funciona pra instituições de fundamental/médio, porque pras de nivel superior temos aula normal.