terça-feira, 1 de novembro de 2011

Rumo ao CaOs!

É...neste domingo estive no Hospital Santa Joana com minha namorada que necessitou ir a emergência, mas não é sobre o caos na saúde que quero falar, é na verdade ainda sobre o tema EDUCAÇÃO. Por que narrei a ida ao Sta. Joana? Porque lé encontrei um dos meus antigos professores na católica, ao reconhecê-lo fui cumprimenta-lo, afinal, minha formação profissional também se deve a influência dele e aos seus ensinamentos.
Mais tarde na espera interminável acabamos conversando, e me vi perguntando sobre os alunos, se estavam mais empenhados. A resposta que tive foi, estão mais mal educados!
Faltando com respeito ao professor.
Quando eu sai da católica os alunos iam assistir aula de calça e havaianas, aulas de direito, que é um curso que preza pelo tradicionalismo, hoje em dia o professor disse que os alunos vão de camiseta regata, bermuda e havaianas.
O que aconteceu? Não sou contra uma certa dose de informalidade, mas todo excesso é nossivo. Não creio que seja respeitoso ir para um ambiente onde você está construindo seu futuro profissional como se a praia fosse. Acho que cada ambiente tem uma roupa própria. Não mata ninguém ir a faculdade ou Universidade com uma calça jeans e camisa normal e um tennis. Vejam que não estou aqui pedindo um traje Esporte Fino ou qualquer coisa, só estou a pedir decoro.
Por que me preocupar com a roupa? Simples, porque a mesma reflete o público que está no curso, reflete a postura do estudante. Por que me preocupar com isso? Óbvio, porque esses alunos, mal educados, que não respeitam os professores, que pensam que podem tudo serão os futuros operadores do direito, juízes, advogados, delegados. Se o vulgo acha que os juízes são prepotentes agora, esses que tiveram dos pais a educação correta, que sabiam respeitar as normas e tudo mais, imagina um juiz que nunca teve limite na vida, imagina que esse garoto que se acha a bala que matou Getúlio com uma arma na mão. Pensou? Entendeu meu receio?
Não sou contra roupas informais, sou contra o excesso de informalismo. Assim como sou contra o excesso de rigidez. O meio termo é sempre mais benéfico. Tive professores linha dura, mas que tenho como amigos e tenho um grande carinho e uma grande admiração. Assim como tive professores lights com quem também me identifiquei. Fico feliz quando os mesmos falam comigo com carinho e amizade, mostra que consegui o que queria.
Sempre fui brincalhão e não deixei de ser na faculdade, muito menos na sala de aula. A diferença? Noção, existem momentos para brincar, para ser mais liberal e existe momento para calar e prestar atenção nos ensinamentos. Mas acima de tudo, o respeito. Liberdade é diferente de Libertinagem. Muitos alunos confundem tornando-se chatos inconvenientes e desrespeitosos.
Sem falar na postura em sala, existem casais que ficam namorando em plena aula. Casais que ficam a dois passos de uma conjunção carnal no meio dos corredores. Mulheres com cintos largos apelidados de saia e sem um shortinho por baixo...como se o fato de usar essa saia já não fosse impróprio ao ambiente acadêmico, ou shortes tão curtos que mas parecem uma calcinha jeans. Mini blusas. Enfim, falta compostura. Como já disse não sou a favor de mulheres usando "Burca" ou "Habitos", mas também lembrar que existe um limite entre Fashion e Vulgar. Principalmente lembrar que ao sair para a faculdade, não é ao Shopping ou a Zona que se está indo e sim a um ambiente acadêmico que merece ser tratado com toda seriedade e que nossa roupa ajuda a informar a visão que temos do ambiente.
Temo pela próxima geração de juristas que vem com uma postura demasiado informal e desrespeitosa. A faculdade é o primeiro contato com o mundo profissional, se já começamos assim, imagine como estaremos daqui a alguns anos.

Aqui é Elrond Bruno dizendo: valores como respeito, educação, moralidade e compostura não devem sair de moda nunca.

Nenhum comentário: