terça-feira, 2 de julho de 2013

Postagem Reflexiva - Nostalgia!

Olá caro leitor,

Hoje não teremos opiniões com tons de revolta ou de protesto. Trata-se de uma postagem que irá beirar a melancolia. Não sei se é pelo clima de chuvas da cidade, não sei se pelo período, não sei se simplesmente é pelo fato de ser humano, mas me vi relembrando do passado com ar saudosista.

Não sou da época desta foto, mas quando falamos de saudade... Não vem na mente uma cena em preto e branco ou sépia. Não sei se o tempo rouba as cores da nossa mente, ou as desbota, quiçá seja meramente pelo romantismo e pela simbologia que nossa mente cria entre a imagem e o que sentimos.
Não sou grande fotógrafo, mas para mim uma foto em preto e branco as vezes tem muito mais apelo que uma colorida.
Mas voltando ao saudosismo. Sabe esses dias que de repente sua vida repassa em sua mente? Seus amigos, como você era, suas besteiras, suas vitórias, seus tantos erros e suas alegrias...
Falando assim faz parecer que tenho cerca de 90 anos, mas é engraçado como a idade nos trás experiência e esse saudosismo. Não uma saudade como se quisesse viver naquela época de novo, mas uma sensação boa. Uma saudade da irresponsabilidade juvenil, de juntar os amigos, andar por andar. A liberdade, falta de compromissos importantes, o mundo de possibilidades a sua frente.
Tantas certezas, certezas essas que várias vezes caem por terra quando amadurecemos. Outras se mostram corretas, mais do que isso, norteiam nosso caráter, nosso ser e forma de pensar.
Sim hoje estou com um tom de melancolia saudosista. Lembrando de quando ainda criança disparei sem saber um extintor de incêndio, lembrando os colégios onde estudei, os amigos que fiz, como diria Alceu Valença, as ruas que andei.
Lembro de ir ao Derby para ver o Peixe-Boi, andar de ônibus elétrico, lembro dos passeios ao Jardim Zoológico, lembro do pedalinho que havia no Horto de Dois Irmãos.
Lembro mais velho das caminhadas que dava com os amigos, lembro da queda história de uma amiga na rampa rolante do Hiper. Lembro dos momentos tristes que passei com alguns amigos, por problemas em suas vidas. Sinto-me feliz por vê-los dar a volta por cima.
Tanta história, tão pouco tempo de vida. Quando me recordo da montanha russa emocional que minha vida já passou, do Evereste até o centro da terra. Lembro-me de ter passado por depressão, superá-la sem que ninguém soubesse. 
Lembro-me de sentir-me sozinho, de fitar o oceano e pensar como seria nadar até o fundo sem qualquer expectativa de retorno. A imagem de se entregar ao mar e se deixar partir desta vida.
Pensamentos sombrios para um jovem de 15/16 anos, mas um pensamento de solidão. Lembro a sensação de cavar para fora do poço. Lembro de me erguer, de sair, regressar para a Luz, por minha própria força. Descobrir o que me dava forças foi revigorante, aprender sobre mim mesmo.
Por incrível que pareça, sinto saudades desta época. Tantas pessoas importantes surgiram na minha vida, tantos fatos que me marcaram. Se hoje sou o que sou devo tudo a todos e a vida que eu tive.
Parece uma inverdade, mas não me arrependo de nada do que eu fiz, me arrependo de certas coisas que não fiz, seja por ter sido muito imaturo, seja por qualquer receio tolo.
Minha nostalgia me avisa e reforça aquela decisão que já tomei, VIVER. Viver cada momento da minha vida, viver como a vida de maneira feliz. 
Tantos ditados para dizer a mesmo coisa, e tantas pessoas que não aprendem: "O passado é algo que não se muda, o futuro é uma incerteza. só temos o hoje, e por isso que se chama PRESENTE"  -  "Pois os momentos felizes, não estão escondidos nem no passado, nem no futuro!" - "É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, porque se você parar pra pensar, na verdade não há!"
Lembrar do passado me faz ver como foi bom e que devo viver meu presente e ser feliz sempre.

Aqui é Elrond Bruno num momento de nostalgia e reflexão sobre a vida.

Nenhum comentário: