terça-feira, 9 de setembro de 2014

Do que o Brasil Realmente precisa...

Olá caros leitores,

Acho interessante ter alguns leitores de países que nunca imaginei, e de certa forma, leitores fiéis, pois tem um fluxo pequeno porém constante de visitas. Obrigado pelas visitas.
Depois desse momento açucarado vamos ao que interessa, reclamar um pouco.
Foto a seguir meramente ilustrativa!

A imagem é meramente ilustrativa, uma pesquisa da DATAFOLHA. O que eu quero reclamar é simples, quando teremos candidatos dedicados verdadeiramente a educação?
Todo país do mundo que cresceu e se desenvolveu foi por ter investido maciçamente no ponto EDUCAÇÃO, e o que vemos é um descaso completo, mal aparelhamento das escolas. Modelos escolares que não preparam para vida. As grandes mentes evitando as salas de aula para não morrerem de fome.
Como criar uma grande geração se espantamos os grandes mestres em potencial por não dar condições de de um vida digna aos professores?
Se um filho diz em casa que será professor o pai diz logo: "VOCÊ VAI SER JUIZ, NÃO PAGUEI ANOS DE COLÉGIO PARA VOCÊ PASSAR FOME!"
Assim afastamos grandes mestres em potencial, pois eles não querem arriscar suas vidas em colégios cada vez mais perigosos, seja pelos alunos se tornarem criminosos, seja pelo prédio que tem perigo de desabar em cima de suas cabeças. Ainda mais para receber tão pouco, sem qualquer condição de trabalho.
Quando um presidente se comprometer com a educação, promover uma verdadeira reforma no país, com novos padrões, parâmetros, modelos, uma escola que passe a preparar o jovem para vida.
Por que o jovem TEM que fazer universidade, nem todo jovem quer, mas quando ele termina o colégio o que ele sabe? NADA! A escolas deveria ser todas complementadas por escolas técnicas onde o aluno sairia tecnólogo, se quisesse poderia ser carpinteiro, mecânico, cozinheiro ou qualquer curso que o agradasse. Porém preparado para se quiser ir para uma faculdade.
A escola hoje prepara o aluno para fazer provas e só.
Assim ampliaria-se o antigo ensino médio em 1 ano e o aluno sairia Tecnólogo aos 18 anos.
Desta forma teríamos pessoas qualificadas no mercado.
A partir daí as faculdades já pegariam os alunos em outro nível intelectual e o país cresceria.
Ademais sem educação o povo não sabe em quem votar, vota errado. Sem educação o povo não aprende a cuidar dos bens públicos pois tais bens são dele, ao contrário do que pensam, que é um bem que não pertence a ninguém.
Acesso puro e simples a universidade não é dar educação. Banalizar o diploma não é investir em educação. Do que adianta milhares de pessoas em faculdade decrepitas, sem estrutura, sem condições. Com greves por não valorizar o profissional do ensino.
Maquiar números e criar programas paliativos e racistas não é enfrentar o problema da educação, é ser covarde. Aceitar essas migalhas que entregam não é lutar pelos seus direitos. Precisamos rever nossos conceitos. Um Brasil para todos. Igualdade. Não vamos desistir do Brasil.

Aqui é Elrond Bruno afirmando, se não investirmos urgente em educação esse país irá sucumbir muito antes do que se imagina.

Nenhum comentário: